• White YouTube Icon
  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon
Desenvolvido por

September 17, 2018

Please reload

Vídeo #30 - Coaching, o que é - Gestão de Pessoas

23/11/2017

1/3
Please reload

Destaques

A difícil e gratificante arte de se relacionar - Artigo #03 - Gestão de Pessoas

14/02/2017

Desde a infância, além da educação de nossos pais, também fomos influenciados pelo ambiente escolar, social e religioso, e é da combinação de todos esses fatores que se formaram nossos“princípios” e “valores”, que nos acompanham por toda a vida e pelos quais “brigamos” em nossos relacionamentos no dia a dia.

 

A educação é um processo de longo prazo. Se somos o que somos, não é por acaso. A dedicação de nossos pais foi fundamental para a formação do nosso caráter, além, é claro, das outras influências do ambiente que vivemos.

 

E é pelo que somos que vivenciamos as emoções, de maneira diversa ou semelhante às das outras pessoas, já que nossos sentimentos e percepções são oriundos de toda aquela base que foi sendo construída ao longo dos anos.

 

Como conseqüência, é inevitável que, baseados em nossos sentimentos e percepções, emitamos julgamentos em relação às pessoas com as quais nos relacionamos – fazemos isso de forma racional e emocional.

 

Nesse contexto, a seqüência natural é a seguinte: sentimos – percebemos – pensamos – e julgamos. Fazemos isso involuntariamente, e é relevante concluir que esse processo interno desenvolvido pelo ser humano, na maioria das vezes, é imperceptível às pessoas que nos cercam.

 

O passo seguinte do “julgamento” é o de “dizer” algo a alguém, e é nesse ponto que se dá o grande divisor de águas das relações interpessoais, é a partir daí que são construídos, ou não, relacionamentos positivos entre as pessoas.

 

Quando “falamos” e, principalmente, quando “fazemos” algo, as pessoas ao nosso redor sentem, percebem, pensam e julgam – exatamente como nós – e nesse momento podemos ser avaliados por elas, influenciá-las, impactá-las positivamente ou machucá-las.

 

Nosso objetivo maior, no final das contas, é o de construir relacionamentos positivos na vida pessoal, conjugal, social e profissional. Para isso, é necessário somente que entendamos que as pessoas, por natureza, são diferentes entre si.

 

Vale lembrar que normalmente diferenças causam conflitos que dificultam as relações. No entanto,“difícil” não significa “ruim”, assim como “fácil” não quer dizer que seja “bom”.

Todo esse processo é natural, e para se obter relacionamentos positivos, basta que saibamos reconhecer essas diferenças, e que tenhamos habilidade para lidar com elas, respeitando-as, no mínimo.

Jorge Guzo

 

Share on Facebook
Please reload